#callfor Perspetivas dos jovens sobre o mundo que os rodeia e contextos de cidadania digital (Media & Jornalismo)

Fin: 15/03/2024

Entidad Organizadora:

Media & Jornalismo

Localización:

Tópico:

  • Crianças, jovens e notícias
  • Crianças, jovens e contextos de cidadania digital

Subtópicos:

  • Algoritmos e dataficação
  • Audiências e notícias
  • Socialização, famílias e influência dos pares
  • Literacias e notícias
  • Desordens informativas
  • Resistência às notícias
  • Reflexão teórica e perspetivas futuras do campo
  • Debates metodológicos
  • Media participativos
  • Descolonização do campo
  • Contextos noticiosos glocais
  • Contextos glocais de cidadania digital

Nesta edição especial, pretendemos captar reflexões teóricas e empíricas que clarificam como, porquê e onde os jovens seguem, compreendem e expressam o que está a acontecer no mundo no contexto da cidadania digital e de desordens informativas (Wardle & Derakhshan, 2017). O contexto da pandemia da COVID-19 e de conflitos bélicos recentes aceleraram uma profusão de notícias falsas e de outras desordens informativas (Galan et al., 2019, Frau-Meigs et al, 2017). É, por isso, premente considerar diversas abordagens de investigação que identifiquem o quê, como e os motivos pelos quais jovens de diversos contextos e geografias propõem as suas visões e expressões do que está a acontecer no mundo. Antecipando definições normativas e/ou também descolonizadas do eixo das notícias, pretendemos captar investigações que analisem temas relacionados com as vozes e visões de mundo dos jovens, bem como a sua (des)conexão com as notícias e contextos de cidadania digital.

A pesquisa tem apontado para uma mudança dos ambientes tradicionais do jornalismo, trazendo novas oportunidades de consumo e produção (Clark e Marchi, 2017) e fomentando processos participativos. Ao propor o conceito de «jornalismo conectado», Clark e Marchi (2017) destacam a necessidade de partilhar, de ter uma visão pessoal dahistória da notícia e de criar as suas próprias histórias. Também notam uma rutura entre as necessidades das audiênciasjovens e os meios noticiosos. 

Quais são os ambientes sociais nos quais os processos de consumo se enraizam? Mesmo que a influência do grupo de pares tenha um impacto, a família, e em particular os pais, estão no centro do processo de socialização para a busca de notícias e de diferentes visões do mundo (Brites et al., 2017; Edgerly et al, 2018a; Lemish, 2007; Silveira, 2019), incluindo contextos para operar dispositivos digitais (Edgerly et al, 2018a). A auto-socialização é encontrada noutros estudos sobre o consumo de informação pelos jovens, que referem o consumo incidental e de lazer (Boczkowski et al, 2018) e a resistência às notícias (Brites e Ponte, 2018; Edgerly et al, 2018b).

Estes ambientes socioculturais colocam desafios adicionais às marcas noticiosas relativamente aos interesses e expectativas dos jovens. É premente refletir sobre estas questões atuais, nomeadamente a forma como os jovens percecionam e lidam com os algoritmos (Swart, 2021) e quais as suas implicações para os processos de seleção e consumo de informação no quotidiano – e até,  em alguns casos, observar o modo como estes conteúdos são utilizados para fins participativos, pró-sociais e de cidadania, dando forma a iniciativas que promovem a mudança social.

Este número especial [preparado no âmbito do projeto Youth, News and Digital Citizenship – YouNDigital (PTDC/COM-OUT/0243/2021); https://youndigital.com] convida ao envio de artigos que abordem teórica e/ou empiricamente estas e outras dimensões, tendo em conta as camadas juvenis na sua diversidade social, educacional, de género e cultural, que reclamam ser estudadas e analisadas na sua relação com os media digitais, as notícias, as plataformas e a cidadania digital.