#Rádios universitárias em tempos de ataques à ciência (Radiofonias)

Fecha/Hora
Date(s) - 28/02/2021
Todo el día

Ubicación
UFOP

Categorías


+ info: Radiofonias

Rádios universitárias operam desde os anos 1950 no Brasil, antes mesmo da regulamentação da radiodifusão educativa, em 1962. Cartografia em andamento (Kischinhevsky, Mustafá, Pieranti e Hang, 2018) revela a existência no país de 100 emissoras pertencentes a 87 instituições de ensino superior. Desse total, 71 estão em operação em canais AM e FM com transmissão replicada via internet, enquanto as demais 29 têm programação veiculada exclusivamente on-line.

A maioria foi criada nas últimas décadas. Nos anos de 1980, foram lançadas 13 FMs. Na década de 1990, vieram mais 14 FMs e duas web rádios que permanecem em atividade. Entre 2001 e 2010, contudo, o número de novas FMs saltou para 22 e o de emissoras on-line cresceu para 10. Na década atual, considerando-se apenas os dados disponíveis até 2017, somaram-se outras 16 web rádios e quatro FMs. Mais da metade, portanto, iniciou suas transmissões no século XXI, uma evidência não apenas do crescimento do campo da comunicação pública e educativa, mas também do interesse estratégico na divulgação científica, tecnológica e de inovação.

A despeito dessa forte expansão, rádios universitárias enfrentam uma série de obstáculos: infraestrutura precária, falta de pessoal, financiamento incerto e instabilidades institucionais. A estes, veio somar-se o desafio colocado pelos ataques políticos de grupos organizados contra a universidade, difamada como espaço de construção de conhecimento e inclusão social e cultural. A era da pós-verdade, das campanhas de desinformação patrocinadas em mídias sociais, coloca novo patamar de dificuldades para o campo da radiodifusão universitária, que ainda luta pelo seu reconhecimento legal e por mais apoio a seu papel formativo.

Nesse contexto, Radiofonias incentiva submissões que proponham reflexões teóricas, estudos de caso e/ou decorram de projetos de pesquisa envolvendo os diversos aspectos da radiodifusão universitária, tais como:

  • Rádios universitárias, regulação e políticas de comunicação pública e educativa
  • Desafios institucionais, alternativas de financiamento e o papel do apoio cultural
  • Emissoras universitárias como espaço de experimentação e formação profissional
  • Em busca da audiência: a importância de falar para além dos muros da universidade
  • Representatividade étnica e de gênero nas emissoras universitárias
  • Formação de redes e experiências de coberturas conjuntas e intercâmbio de conteúdos
  • Radiojornalismo em emissoras universitárias
  • Articulações entre rádios universitárias e circuitos locais e regionais de música independente