São Paulo ‘queer’ en tiempos de Bolsonaro

+ info: El País (David Marcial Pérez)

HBO apuesta con ‘Todxs nosotrxs’ por la primera serie latinoamericana sobre diversidad de género

En Todxs nosotrxs, la primera serie latinoamericana centrada en la diversidad de género, hay una representación holgada de la comunidad LGTBI+ en prácticamente cada uno de los escalones de la producción: guionistas, reparto, figurantes. Pero justo en la punta de la lanza, la protagonista de la serie, Clara Gallo, es una actriz cis hetero interpretando el papel de Rafa, un adolescente no binario (las personas que no se identifican con el género masculino ni el femenino).

“Durante el casting probamos también con actores no binarios, algunos amateurs y otros profesionales, pero cuando apareció Clara nos dimos cuenta que tenía que ser ella. Sabemos que es un tema delicado y que puede que haya parte de la comunidad que nos critique, pero es ficción, interpretación, y hay cosas que tienen que funcionar”, explica Vera Egito, la codirectora de la serie, una producción brasileña de HBO Latinoamérica que se estrenó este domingo en toda la región, además de EE UU.

A família homoparental na ficção televisiva: as práticas narrativas do Brasil e da Espanha como relatos das novas representações afetivo-amorosas

+ info: Tesis en Red, Aline Martins Mesquita (2012)

Este estudo de doutorado analisa o tratamento de uma família homoparental na ficção televisiva do Brasil e da Espanha, considerando as implicações afetivo-amorosas e os tratamentos paterno-filiais da nova família. Inicialmente, estuda-se a interdisciplinaridade entre família, sociedade e produções de ficção, que consolidam o terreno sentimental contemporâneo como cheio de mudanças sociais acentuadas por laços de família, formados por pessoas do mesmo sexo. A pesquisa, de caráter qualitativo-comparativo, fez um recorte cronológico da série espanhola Hospital Central, no período em que a Espanha aprovou o casamento gay, em 2005. O mesmo foi feito com uma obra de ficção do Brasil, a telenovela Páginas da Vida. A abordagem metodológica utilizada é a análise dos atributos de dois casais homossexuais da ficção dos dois países através de uma análise de conteúdo do tipo textual – depois de uma seleção de sequências de interesse, fenômenos intrínsecos de cada relação amorosa que interessaram à pesquisa, escolhidos após uma observação empírica. No total, 228 sequências foram selecionadas entre as duas obras, compreendendo uma pré-seleção de 197 capítulos e 9.685 minutos assistidos. O estudo utilizou, também, técnicas de suporte metodológico como questionários aplicados a coletivos homossexuais dos dois países e entrevistas com autores de ficção, a fim de obter mais dados sobre consumo e produção. Os resultados confirmam o potencial da televisão como uma ferramenta que reforça as novas representações afetivo-amorosas e a tendência das obras em evitar o estereótipo, rompendo o contrato heteronormativo. Observou-se, além do contexto sócio-legal distinto, a prática narrativa de emancipação da série espanhola e o tratamento aprofundado do casal, diferentemente dos personagens da telenovela brasileira, que, apesar de apresentarem tempo equilibrado de presença em tela, tiveram restrição na abordagem afetivo-amorosa e na discussão das relações homoparentais. Finalmente, o estudo fornece uma proposta de padronização de conteúdos para a família homoparental na televisão brasileira e elementos para uma nova linha de investigação acadêmica: a família homoparental na ficção televisiva.

Un juez en Brasil ordena a Netflix retirar la comedia sobre Jesús gay

+ info: El País

La justicia brasileña ordenó, de manera provisional, que Netflix y la productora Porta dos Fundos retiren del aire La primera tentación de Cristo, una sátira de Navidad en la que se insinúa que Jesús tuvo una relación homosexual. La decisión del juez Benedicto Abicair, del sexto tribunal civil de Río de Janeiro, consideró que «el derecho a la libertad de expresión, prensa y artística no es absoluto». En la resolución, el magistrado añadió que «las redes sociales son incontrolables» y que todos pueden entrar a la plataforma de vídeo en línea «incluso menores edad».